quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Mercado a termo

Termo é sinônimo de prazo e quem compra ações no mercado a termo justamente recebe um prazo para poder pagar pelas ações.
O contrato de termo é praticamente um contrato de mútuo, de empréstimo de dinheiro.
De um lado o financiador que oferece dinheiro cobrando juros. Para cada prazo uma taxa.
Por exemplo, para 30 dias 0,75%, para 60 dias 1,40% (mudam diariamente).
Do outro lado o tomador do dinheiro, alguém que pretende comprar ações usando o dinheiro do financiador. Esse investidor compra as açoes hoje mas só tem obrigação de pagar por elas ao final do prazo contratado, quando pagará o preço da ação na data da compra, acrescido do valor da taxa de juros.

Os prazos podem variar de 16 a 999 dias, os contratos podem ser liquidados antes do prazo de acordo com a vontade do comprador, as taxas são definidas pelo financiador e podem ser negociadas livremente.
Operações a termo também implicam em chamada de margens de garantia.

O operação se dá da seguinte maneira: Suponhamos que eu quero comprar 1.000 ações do Bradesco a termo, ao preço de R$ 32,00 pelo prazo de 30 dias.
Não há como fazer um termo pelo home broker. Então ligo para a corretora e peço para que façam a operação. O financiador irá comprar as 1.000 ações de bradesco no mercado a vista (BBDC4) por R$ 32,00 e, em seguida, revendê-las para mim no mercado a termo (BBDC4T) por R$ 32,24 (R$ 32,00 + juros de 0,75%).
Então fiz uma compra de 1.000 BBDC4T por R$ 32,24, investi o equivalente a R$ 32.240,00 mas só tenho obrigação de pagar esse valor no final do contrato.
No dia seguinte terei que pagar apenas os custos operacionais, calculados sobre o valor final de R$ 32,24. Corretagem e emolumentos. O principal só será pago quando o contrato for liquidado.
Também no dia seguinte terei que pagar (ou oferecer títulos) as margens de garantia.
O contrato vence automaticamente no fim do prazo (30 dias no caso desse exemplo) mas eu posso decidir encerrá-lo antes disso se me convier.
Se eu quiser ficar com as ações, pago por elas no final do contrato e passo a tê-las na minha carteira a vista, como qualquer outra ação. (deixo de ter BBDC4T para ter BBDC4). Nesse caso temos uma liquidação financeira por decurso de prazo.
Mas se meu interesse for especular no curto prazo posso vender as ações antes do vencimento do contrato e fazer uma liquidação antecipada da dívida por diferença, isto é, antes do fim do contrato e tendo como financeiro apenas a diferença entre o preço contratado (32,24 nesse exemplo) e o preço da venda.
Se no 10º dia do meu contrato a termo as ações de BBDC4 sobem para 35,00 eu posso vender as ações, liquidar o contrato por diferença e, ao invés de pagar os R$ 32.240,00 receberei a diferença positiva entre os R$ 35.000 que tenho a receber pela venda e os R$ 32.240 que tenho que pagar pelo termo. Da mesma maneira se eu vender abaixo do preço contratado, faço uma liquidação por diferença e pago apenas o que faltar entre o valor contratado e o valor da venda.

A taxa não é pro rata temporis, o que significa que mesmo que eu liquide um contrato antecipadamente terei que pagar os juros pelo período todo.
Fiz um contrato de 30 dias, paguei 0,75% de juros, mas liquidei o contrato no 5º de vigência. Não terei desconto nos juros porque liquidei o contrato antes (esse é o principal atrativo para o financiador do termo).

O tomador do termo precisa oferecer garantias, margem inicial e ajustes diários cada vez que as cotações caírem.
O mercado a termo permite que um investidor se alavanque, ou seja, use o patrimônio que possui em ações como garantia para poder comprar mais ações.
A margem inicial, para as ações de maior liquidez é pequena, algo em torno de 18%. Ou seja, um investidor que possui R$ 18.000,00 (em dinheiro ou em ações) consegue comprar até R$ 100.000,00 de ações no mercado a termo. Com isso poderá ter lucros muito maiores do que teria operando apenas no mercado a vista, mas também se expõe muito mais aos riscos do mercado.

Liquidação em D-3 e “rolagem” do termo.

Claro que é mais simples liquidar um termo por diferença, pois assim um investidor movimenta menos dinheiro do que o que de fato negociou e com isso aproveita a possibilidade de alavancagem que essa operação permite.
A liquidação financeira de um contrato acontece no próprio dia do vencimento, enquanto que a liquidação financeira de uma venda de ações acontece apenas 3 dias úteis após a venda.
Então para não precisar pagar o valor total das ações compradas a termo é preciso liquidar o contrato 3 dias úteis antes do vencimento, isso porque a venda será creditada na conta do investidor 3 dias depois, mas o termo é debitado no mesmo dia do vencimento. Dessa forma (liquidando o termo em d-3) débito do termo e crédito da venda vão “casar”, cairão no mesmo dia, e o contrato será liquidado por diferença.
Ao contrário, se a venda das ações for feita no mesmo dia em que o contrato vence, haverá um descasamento financeiro, já que o termo terá que ser pago no mesmo dia mas o dinheiro da venda só será creditado 3 dias depois. Então o investidor terá que desembolsar todo o valor contratado e esperar 3 dias para receber o que vendeu e então apurar a diferença entre os preços. Uma movimentação financeira desnecessária.

Os contratos a termo não são renováveis, mas usualmente quem quer estender o prazo de um termo se vale da “rolagem” da posição.
3 dias úteis antes do vencimento o investidor deverá vender as ações, liquidar o contrato e fazer um novo termo (nesse mesmo dia). Com isso fará uma liquidação por diferença (pagando se tiver prejuízo ou recebendo se tiver lucro) e continua comprado a termo por mais um período.
Note que não há renovação do contrato, apenas uma tática para prorrogar a operação fazendo liquidação por diferença.

Importante, sempre que liquidar um contrato antecipadamente o investidor precisa avisar a corretora que a venda das ações corresponde a um termo, para que então a corretora informe a CBLC que um determinado contrato está sendo liquidado. A corretora não tem como saber disso automaticamente, é responsabilidade do investidor solicitar a liquidação do termo no mesmo dia em que vender as ações.

Na outra ponta da operação está o financiador do termo. Qualquer um pode ser financiador mas na prática somente investidores institucionais o são (fundos de investimento, tesouraria de empresas, alguns clubes de investimento etc). O financiador não assume riscos, não importa o que aconteça com a cotação das ações ele vai receber os juros contratados no final do período. Porém existe a possibilidade de o lucro ser muito maior, pois sempre que um contrato é liquidado antecipadamente o financiador recebe antes e, proporcionalmente, os juros são maiores nesse caso.
Por exemplo, se eu financiei um contrato de termo para receber os juros de 0,75% em 30 dias, mas os recebi em 15 dias, a grosso modo, posso dizer que ganhei o dobro do que esperava ganhar.
A garantia exigida para o financiador é chamada de cobertura, ou seja, ele precisa ter em carteira as ações que financiou.

Existe ainda o termo flexivel, um outro tipo de contrato a termo cuja a diferença é que as ações objeto podem ser substituídas.
Por exemplo, compro as mesmas 1.000 ações de bradesco e faço um contrato de R$ 32.240 mas agora faço um termo flexivel  por 60 dias. As ações sobem e no 25º dia eu as vendo.
Ao invés de encerrar o contrato eu posso trocar as ações, por exemplo,  vendi bradesco mas comprei itau (no mesmo dia), o contrato segue valendo até o 60º dia, mas eu troquei a ação objeto.
Esse tipo de contrato normalmente é levado até o fim, ou seja, liquidado por decurso de prazo. Por isso as chances do financiador ter o lucro majorado em caso de liquidação antecipada são bem menores, portanto, para compensar, os financiadores cobram taxas bem mais altas do que as do termo “normal”.
Termos flexíveis são exceção. Há ainda os termos referenciados em dólar, ou seja, com a cotação das ações transformadas em dólar. Esses são ainda mais raros.

Dúvidas, correções ou sugestões? Deixe um comentário ou escreva para arthurvmoraes@gmail.com

5 comentários:

  1. Boa! bom ler esses artigos para relembrar alguns conceitos

    ResponderExcluir
  2. Obrigado pelas instruções e exemplos elucidantes. Estava a dois dias procurando exemplos de Termo para entender como funciona e achei aqui.

    ResponderExcluir
  3. Fico feliz por ter ajudado Carlos! Se ainda tiver dúvidas sobre o mercado a termo basta perguntar.

    ResponderExcluir
  4. Arthur, Obrigado pela explanação. Estou aprendendo sobre o termo e suas explicações forma bastante elucidativas. Igor

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...